sábado, 28 de maio de 2016

A poesia segundo Adail Coelho Maia


O Usurário

"Pensando simplesmente no dinheiro
Vive o rico usurário, noite e dia
Se alguém lhe bate à porta, traz primeiro
A nota que tem por garantia!

Por quase nada, tudo ele avalia
Num gesto de sagaz aventureiro;
E em tão pouco tempo, cheio de alegria,
Leva do pobre o traste derradeiro.

O seu deus é a riqueza conseguida,
Com ela pensa em se livrar do inferno
Porque com ela triunfou na vida.

Mas um pesar em seu viver influi,
Saber que morre e o desespero eterno
“De não poder levar o que possui.”

Esse poeta me foi apresentado pelo escritor Gilvanni Amorim que o resgata no seu livro Relatos da Aldeia. Adail Coelho Maia é um poeta piauiense, nascido no município de São João do Piauí.

ERASMO DIBELL - Mucama




ERASMO DIBELL é um cantor, compositor e músico maranhense.

Sérgio Machado e Pedro Corrêa assustam ex-companheiros




Este país está sendo consumido pela corrupção e dominado por corruptos
 

O escândalo do Mensalão, ocorrido no ano de 2005 e sob o comando de petistas, após o julgamento dos seus criadores e sistematizadores, a princípio, parecia que esse julgamento teria um caráter pedagógico e serviria para inibir a ação de corruptos contumazes, mas, passado o julgamento desse rumoroso escândalo, os operadores do Mensalão voltaram a atuar, como quem pensa, que um novo escândalo não se repetiria sob o governo do Partido dos Trabalhadores (PT), haja vista, o presidente Lula gozar de uma enorme popularidade e prestígio, o que no entendimento de Zé Dirceu, cujo DNA aparece no escândalo do Petrolão, inibiria qualquer ação investigadora.  

O procurador da República Deltan Dallagnol, que coordena a força-tarefa da Operação Lava Jato, disse que o esquema de corrupção na Petrobrás envolvendo o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula) se refere a contratos específicos na estatal. Para o procurador, o caso evidencia “um esquema partidário de corrupção e o Petrolão uma extensão do Mensalão ”. “Mensalão e Petrolão são um só”, disse Deltan Dallagnol, ao divulgar denúncia contra Dirceu e mais 16 investigados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Com a revelação das gravações feitas pelo ex-senador e ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado com próceres do PMDB e da república e uma extensa matéria publicada pela revista Veja, com o ex-deputado Pedro Correa (PP), fica mais do que evidenciado que o Brasil foi tomado de assalto por uma quadrilha super organizada e sofisticada, que agia de maneira sistematizada e com vários braços operando em todo o organismo público e em conluio com os donos das maiores construtoras deste país.

Se já está mais do que provada a existência de uma quadrilha que operou o Mensalão e o Petrolão, quem nos garante que os braços longos dessa quadrilha não atuava em grandes obras, como as do PAC, do Canal de Transposição do Rio São Francisco, das usinas hidrelétricas e dos programas Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida?

Ouso afirmar que todas essas obras, projetos e programas dos governos PT, não resistem a uma investigação séria e criteriosa. O que exigiria várias forças-tarefas para investigar a roubalheira nas obras federais.