terça-feira, 3 de maio de 2016

ALCIONE - Mimoso


A música Mimoso é uma composição do compositor, músico e cantor maranhense Ronald Pinheiro.

Perfil de Temer não guarda semelhança com o de Itamar


O perfil de Michel Temer não guarda nenhuma semelhança com o do ex-presidente da república, Itamar Franco. O político baiano/mineiro Itamar  sempre foi um político à moda antiga, cujo traço marcante na sua personalidade era sua absoluta intransigência com malfeitos. Nesse aspecto, merece ser relembrada a atitude do presidente quando pairavam dúvidas sobre a ética de seu principal ministro, o então chefe da Casa Civil, Henrique Hargreaves. O ministro não era apenas amigo de Itamar, os dois eram como irmãos. Nada disso impediu o presidente de afastar o auxiliar até que uma sindicância apurasse a suspeita sobre Hargreves de estar associado à prática de corrupção. Como nada ficou provado contra o seu ministro, Itamar o reintegrou ao cargo.

Já o presidente nacional do PMDB e vice-presidente da república, Michel Temer, além de presidir um partido com um número expressivo de parlamentares envolvidos pela Operação Lava Jato no Petrolão, Temer já teve o seu nome citado pelos delatores Fernando Baiano e Júlio Camargo. Segundo Júlio Camargo, o lobista Fernando Baiano era conhecido como representante do PMDB, o que incluiria Cunha, Renan e Temer.

Na primeira interrupção de mandato presidencial na história brasileira, Café Filho negou lealdade a Getúlio e saiu da História para entrar no esquecimento, tendo de renunciar, sob alegadas razões de saúde, já em meio às articulações de um golpe para impedir a posse de Juscelino Kubitschek.

No episódio Collor, Itamar Franco mesmo já tendo rompido politicamente com o Presidente, não fez nenhuma articulação para assumir o cargo. Recolheu-se ao silêncio, não conspirou, não se exibiu, não se serviu da situação, mesmo já estando na cota de desafetos pessoais do presidente em desespero.

por Joachim Arouche

Lula ‘torce’ intimamente pelo impeachment de Dilma



Lula ‘torce’ intimamente pelo impeachment de Dilma. É, que como tudo leva a crer, um eventual governo do PMDB está fadado ao fracasso e quem mais se beneficiaria com o mau êxito de Temer, seria o ex-presidente Lula, caso ele não venha a ter os seus direitos políticos cassados pela justiça. Não por acaso, o PT que ainda obedece cegamente ao companheiro Lula, não quer a antecipação da eleição presidencial. Elementar eu caro Watson!

Um pacote de maldades inevitável

O ajuste fiscal que deverá começar pelas reformas previdenciária e trabalhista e a recriação da CPMF são inadiáveis e qualquer que seja o governo que venha fazê-lo, arcará com o ônus da impopularidade. Isso é fato. Mas, a CPMF que injetará R$ 30,5 bilhões, para compensar um rombo fiscal aliviaria as contas do governo. Uma tentação para um governo que sofre com a falta de recursos. A nossa carga tributária é elevada, isso não é nenhuma novidade, mas, num momento como este, ela é absolutamente necessária. Temer não terá como fugir dessa enorme responsabilidade.

O PSDB torceu o nariz para o perfil do ministério Temer

“A cara desse ministério está ficando esquisita. O nariz está no lugar da boca; os olhos, no queixo”, repara um dirigente do PDSB. (Natusa Nery redatora do Painel da Folha de São Paulo.
A lua de mel entre peemedebistas e tucanos parece que vai durar pouco, porque o PSDB não vão querer comprometer o seu futuro apoiando incondicionalmente um governo que tudo indica será uma repetição do governo passado. Será que Temer imagina que está lidando com políticos inexperientes?

segunda-feira, 2 de maio de 2016

“Desse mato não sai coelho”


Cunha sobrevive do medo que alimenta a cada momento.

Desse mato não sai coelho, tem o mesmo significado de isso não vai dar em nada.

Soa incompreensível para o brasileiro comum ou o leigo em juridiquês, a demora da Suprema Corte em afastar o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara Federal - em que pese o Procurador- Geral da República, Rodrigo Janot, ter protocolado o seu pedido no gabinete do ministro Teori Zavascki em dezembro de 2015.

“Rodrigo Janot, elenca nesse seu pedido, uma série de eventos que indicam “crimes de natureza grave”, como o uso do cargo a favor do deputado, integração de organização criminosa e tentativa de obstrução de investigações criminais. O deputado peemedebista é suspeito, por exemplo, de apresentar emendas em onze medidas provisórias de interesse de empreiteiras e bancos, de ameaçar o relator do Conselho de Ética que o investiga e de usar a CPI da Petrobrás para “constranger e intimidar testemunhas” de supostos crimes de corrupção cometidos por ele”.

Já o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, na Câmara Federal e no Senado, contrariando todas as expectativas do povo brasileiro, funciona aos sábados e domingos, por imposição, exigências e cobranças dos cardeais do PMDB. Como todo mundo sabe, a semana no Congresso Nacional, via de regra, começa na terça e termina na quinta-feira.

Ninguém pode negar que Cunha é no presente momento, o homem mais poderoso do país, porque desafia a tudo e a todos. Em entrevista aos repórteres Andreza Matais e Marcelo de Moraes, ele disse que o que o processo de sua cassação deve ser anulado porque “o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), usa o caso para aparecer na TV e tem histórico que inclui roubo de toca-fitas na adolescência”. “Eu vou sair da presidência da Câmara dia primeiro de fevereiro de 2017”, afirma. Alguém duvida? Eu não! Essa sua afirmação é um verdadeiro desafio.     

por Raimundo, Sebastião, José