sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Gilberto Kassab também cobiça o ministério das Cidades

O presidente nacional do PSD, o ex-prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab deve ser o ministro das Cidades no segundo governo Dilma Rousseff. Como o quarto maior partido no Congresso Nacional na legislatura de 2015, o PSD depois do PMDB é o partido que mais interessa ao governo do PT como aliado.

Criado em 2011, o Partido Social Democrático (PSD) disputou pela primeira vez nas urnas os cargos de governador, senador, deputado federal e estadual. Além de se manter como quarta maior bancada da Câmara dos Deputados, o PSD elegeu um governador em primeiro turno e ampliou tanto o seu número de senadores quanto sua representação nacional.

A bancada eleita para 2015 será composta por 37 deputados, que vão responder por 17 unidades da federação.

Além do senador Sérgio Petecão (AC), que ainda tem quatro anos de mandato, o partido contará agora com mais dois senadores: Omar Aziz, no Amazonas, eleito com 58,51% dos votos e Otto Alencar, na Bahia, 54,53% de aprovação.

A propósito: a presidente Dilma Rousseff convidou a cúpula do Partido Social Democrata (PSD) para participar da ceia de Natal no Palácio do Planalto. Esse convite feito pela presidenta aos dirigentes do PSD é uma demonstração pública do interesse do chefe do Poder Executivo nacional em fortalecer os laços entre PT e PSD.

Com a valorização do PSD nacional pela presidenta Dilma Rousseff, o caminho do PSD estadual será pavimentado para um entendimento entre o governo de Wellington Dias e o partido presidido pelo deputado federal Júlio Cesar Lima (PSD-PI). 


Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

Wellington vai receber um estado com cenário de terra arrasada

Faltando dois meses para o fim do 'breve governo' do peemedebista Zé Filho, o estado do Piauí, segundo o que a imprensa vem noticiando nos últimos dias, atravessa uma situação muito complicada, com ameaça de atraso do pagamento do funcionalismo público, sem recursos para a aquisição de gasolina, comida para os presidiários e material de expediente para o DETRAN.

O governador eleito Wellington Dias ao assumir o governo do estado, num cenário de terra arrasada, deverá como primeira medida administrativa, mandar fazer uma auditoria ampla, geral e irrestrita nas contas do estado, começando pela Coordenação de Comunicação e em seguida passando para a secretaria de Fazenda, DETRAN, secretaria de Saúde e secretaria de Educação. Estas duas últimas secretarias que são consideradas a Serra Pelada (mina de ouro) de qualquer governo. Não é à toa que o presidente da república, os governadores e prefeitos só nomeiam ministros, secretários dessas duas pastas, parentes ou pessoas da confiança do chefe do Poder Executivo.


Segundo o Portalaz o estado do Piauí fechará o mês de outubro com um débito de R$ 10 milhões. Esse débito vai ter que ser explicado e justificado. É ai que entra a auditoria. 

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O Amor viajou - Zeca Baleiro



Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

O PSB de Timon foi até o fim com Aécio Neves

O prefeito Luciano Leitoa e o seu primo, o suplente de deputado estadual Raimundo Leitoa

A família Leitoa que nas eleições passadas sempre esteve ao lado do Partido dos Trabalhadores (PT), em 2014 preferiu apostar na candidatura neoliberal de Aécio Neves e se deu mal. Faltando dois anos para o término do seu mandato, o prefeito Luciano Leitoa, dificilmente se reelegerá em 2016, porque, o seu governo é apenas sofrível e não poderá contar com recursos do governo federal que deverá prestigiar a ex-prefeita de Timon Socorro Waquim.  

Com a vitória de Dilma Rousseff, a neutralidade do governador eleito Flávio Dino na disputa pelo segundo turno da eleição presidencial e sem um deputado federal com bom transito junto ao governo federal, o município de Timon - no vizinho estado do Maranhão ficará sem interlocutor no Palácio do Planalto ou como diz o caboclo nordestino, ficará num mato sem cachorro.

Com a metade do seu mandato já concluído e sem ter realizado nenhuma grande obra, Luciano Leitora embora conte com o apoio do governador Dino, não terá como reverter um quadro que se lhe apresenta muito desfavorável. 

Em TemPO:

Quem apoiou Dilma Rousseff em Timon no primeiro e segundo turno foi o grupo da prefeita Socorro Waquim.

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

MÚSICA ANDINA (5 de 5)



Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

O clima belicoso contra o governo Dilma continua

Esse é o perfil do eleitor petista  

A grande mídia leia-se: a revista VEJA a Rede Globo, a Globo News e os jornais impressos e sites de noticias, com exceção do Jornal do Brasil na versão online continuam em pé de guerra contra o Partido dos Trabalhadores (PT) e não dá um minuto de trégua ao governo da presidenta Dilma Rousseff.   

A presidenta Dilma Rousseff diante dessa conspiração nada silenciosa deve buscar apoio nas classes sociais mais baixas e endurecer o jogo contra as elites que querem tira-lá do poder. Como as classes B, C e D representam a maioria do povo brasileiro, a presidenta terá sempre o apoio popular, caso continue priorizando essas três classes sociais.

Entre os veículos da grande mídia, a revista VEJA é o adversário mais visível, porque, no corpo desta revista não sai nenhuma matéria favorável ao governo. E o governo ainda faz publicidade num meio de comunicação que é radicalmente contra a presidenta Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores (PT).   

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

Políticos piauienses se articulam para pleitear cargos

Um site de Teresina traz no dia de hoje como manchete principal, uma notícia dando conta da movimentação por Brasília, do presidente estadual do Partido da República (PR) e deputado estadual eleito Fábio Xavier e do suplente de deputado federal Silas Freire em articulação que visa exigir os cargos federais que hoje estão nas mãos de peemedebistas no estado do Piauí, como o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) - que há 12 anos vem sendo dirigido por ninguém menos que o cunhado do deputado federal reeleito Marcelo Castro (PMDB-PI), o engenheiro Sebastião Braga Ribeiro, o popular Tião.  

Caso proceda a informação, o PR que é um partido minúsculo a nível estadual e federal poderá vir a enfrentar sérias dificuldades no estado do Piauí, haja vista, os seus dirigentes estaduais partirem para um enfrentamento com um partido muito poderoso e com um parlamentar que apesar de ter ficado em cima do muro na campanha presidencial, ainda goza de muito prestigio junto à cúpula nacional do seu partido. E como o DNIT no estado do Piauí é uma das jóias da coroa, o PMDB vai investir pesado contra um partido que elegeu apenas um deputado estadual e um primeiro suplente de deputado federal que para assumir  uma vaga na Câmara Federal, os dirigentes estaduais do PR vão ter de usar de muita diplomacia e ter vocação para bajulador, porque, o suplente Silas Freire poderá até assumir, mas termina ai o compromisso do Partido dos Trabalhadores (PT) com a sigla de aluguel PR.

Repito o que disse aqui neste espaço virtual: se o locutor Silas Freire teve na campanha eleitoral um comportamento humilde e colaborativo, o que não é bem o seu feitio, o governador Wellington Dias deverá reconhecer a sua dedicação, mas se esse político não tiver se empenhado, o suplente do PR nunca será convocado. Ouso afirmar que Silas Freire terá o mesmo destino que o seu companheiro de profissão, o locutor Rego do PSB, que ganhou  no governo de Firmino Filho, um cargo sem importância. Só como cala boca.

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Certos nordestinos sofrem da síndrome de Estocolmo

Síndrome de Estocolmo (Stockholmssyndromet em sueco) é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, de humilhação e depreciação passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. A síndrome de Estocolmo parte de uma necessidade, inicialmente inconsciente.

Essa síndrome manifestou-se numa parte insignificante de nordestinos nesta eleição presidencial é verdade, mas se manifestou, com muitos nordestinos se voltando contra os seus conterrâneos e saindo em defesa de um playboy que o seu próprio estado rejeitou.

Não custa nada lembrar que qualquer nordestino no estado de São Paulo é tratado como baiano, uma maneira depreciativa e escrota dos paulistanos e paulistas expressarem o seu preconceito contra quem nasceu do estado da Bahia pra cima.    

As regiões Norte e Nordeste sempre foram tratadas pelos nossos governantes, na sua expressiva maioria por sulistas, com desatenção e pouco caso. Isso explica o elevado de industrialização dos estados das regiões Sul e Sudeste e a baixa industrialização das regiões Norte e Nordeste.  

Eu até acho que um país democrático como Brasil, consolida a sua democracia, ao praticar a alternância de poder, mas não com um político que o seu próprio povo disse não.   

Ainda bem que os nordestinos que votar em Aécio Neves representa um número ínfimo em relação à votação consagradora dada a presidenta Dilma Rousseff.

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

Los Hermanos - Elis Regina



Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ

O PSDB foi colocado pelo povo brasileiro na oposição

O senador Aloísio Nunes (PSDB-SP) e candidato a vice-presidente na chapa encabeçada pelo também senador Aécio Neves (PSDB-MG) e que foi derrotada pela presidenta reeleita Dilma Rousseff, está certo quando diz que não vai aceitar dialogar com o governo. É que na condição de oposição, o seu partido tem mesmo é que fazer oposição, mas uma oposição responsável e a favor do Brasil. É que fazer uma oposição sistemática e irresponsável não constrói.

A maioria do povo brasileiro ao derrotar o projeto de governo defendido pelos tucanos, automaticamente colocou o PSDB na oposição. E o papel da oposição é fiscalizar o governo e ao detectar irregularidades, denunciá-las. Uma oposição séria e responsável ajuda mais o governo do que a base aliada que dá sustentação ao governo de plantão, porque os aliados não têm independência para criticar as ações governamentais que são contra os interesses da população.  O governo sério e bem intencionado quando não tem oposição, tem o dever de criá-la.  

O papel de fiscalizador dos governos cabe constitucionalmente ao Poder Legislativo, mas, como o parlamento abriu mão de uma das suas prerrogativas, fiscalizar ao governo passou a ser uma função da oposição.

Em tempo: uma oposição séria e responsável deve votar pela aprovação de todos os projetos de interesse do povo. 

Siga o blog Dom Severino no Twitter, no Facebook e no PortalaZ